Paytrack, especialista em gestão de despesas, mobilidade e viagens corporativas, realizou uma pesquisa com 71 empresas para conhecer os modelos de gestão predominantes nas empresas brasileiras. O levantamento apontou que apenas 35% delas controlam o orçamento com rigidez e 40% ainda realizam solicitações de serviços de viagens por e-mail. Mais de 60% das empresas que responderam a pesquisa possuem um quadro de quinhentos ou mais colaboradores e 53% faturam acima de cem milhões de reais por ano.

A pesquisa também indicou que 34% dos gestores afirmam que a validação de política é realizada de forma manual e 45% não realiza o monitoramento do percentual de viagens e despesas que tem alguma violação de política. 75% afirmaram não acompanhar o custo gerado em função destas violações. E ainda, mais de 10% dos respondentes reconhece que a empresa gasta até 30% a mais em despesas de viagem devido à violação de políticas.

“Os dados mostram a baixa automatização das empresas no controle de despesas e viagens corporativas e que a maioria delas está sujeita a fraudes”, afirma a CEO da Paytrack, Daniele Amaro.

Em 39% das empresas, os colaboradores pesquisam passagens aéreas e hotéis fora das plataformas corporativas e o motivo, alegado por 60% dos gestores respondentes, é o preço encontrado em outros canais. Questionados sobre o que torna o controle de custos e viagens e despesas mais desafiador, 51% dos respondentes afirmaram que os funcionários não enviam solicitações de viagens e relatórios dentro do prazo.

Quando o assunto é gestão de viagens e despesas, 56% das empresas dão preferência a programas modernos e digitalizados para solicitação de viagens e reembolso, seguido pela possibilidade de garantir uma visão global sobre o cumprimento e violação das políticas.

Segundo Daniele, ter um sistema de gestão garante um maior controle e visão global de custos. Além disso economiza 18% em média em viagens, reduz 86% de tempo do time de backoffice em conferência de despesas, 90% do tempo de prestação de contas, identifica e inibe a ocorrência de fraudes, e ainda eleva o compliance e a segurança de dados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.